homecare_01

ATENDIMENTO HOME CARE

O atendimento domiciliar, também conhecido como home care, é uma modalidade de cuidado de saúde que tem crescido bastante nos últimos anos em meio aos profissionais da área da Saúde em todo o mundo. Sua principal característica é o deslocamento desses profissionais (enfermeiros, fisioterapeutas, médicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, entre outros) até o local em que se encontra o paciente (em geral, sua residência) para oferecer-lhe tratamento, tendo em vista a dificuldade ou impossibilidade de o paciente locomover-se até uma clínica ou consultório. No Brasil, dentre os principais motivos que justificam o crescimento da prática do home care, destaca-se o aumento do número de idosos no país, reflexo da crescente elevação da expectativa de vida da população.

Embora os casos mais emblemáticos de atendimento domiciliar envolvam o atendimento a idosos impossibilitados de sair de suas casas, o home care não se restringe apenas a essas situações. Existe uma série de outras circunstâncias possíveis que podem demandar a necessidade de atendimento na modalidade home care: portadores de doenças degenerativas, pessoas em estágio terminal de doença, pacientes hospitalizados, dentre outros, podem necessitar serem atendidos in loco. Esses pacientes não necessariamente se encontram em suas casas, mas podem estar em casas de repouso, hospitais, hospitais psiquiátricos, abrigos, etc. O home care, nestes casos, possibilita que o tratamento chegue a esses pacientes onde quer que eles estejam.

Na psicologia, apesar de pouco difundidos, o atendimento e a visita domiciliar também são formas de atuação do psicólogo, sendo indicados a qualquer indivíduo que esteja impossibilitado de ir a um consultório psicológico. Além das circunstâncias gerais relatadas acima, a atuação do psicólogo na modalidade home care pode também ser demandada em determinados quadros clínicos que requeiram atenção especial, como, por exemplo, pessoas que sofrem de fobia social, determinados casos de ansiedade generalizada, pânico ou depressão severa que impeça o indivíduo de sair de casa.

Os benefícios do atendimento psicológico podem ser muitos, tanto para o paciente, como para a família e cuidadores. Em muitas das vezes, o indivíduo adoentado não consegue conversar abertamente com seus familiares sobre suas angústias acerca da doença que o fragiliza. O fato de não poder trabalhar devido sua fragilidade, que gera uma sensação de inutilidade, ou mesmo o medo da morte e a preocupação de como ficará sua família caso morra, trazem muita angústia e sofrimento ao paciente. Nessa situação, o psicólogo, por estar numa posição de neutralidade, estará pronto para acolher todo esse conteúdo por meio da escuta, de modo a ajudar o paciente a ressignificar suas experiências, bem como auxilia-lo a interpretar e conviver melhor com seu estado físico e emocional. Tudo isso, certamente, se refletirá de forma positiva também nas demais atividades feitas pelo paciente, como, por exemplo, a fisioterapia, a terapia ocupacional e etc.

Por outro lado, a família e cuidadores muitas vezes também sofrem por não ter alguém com quem partilhar as dificuldades e angústias de se cuidar de um idoso acamado ou com demência, ou mesmo de um filho, um cônjuge ou parente com algum tipo de doença grave. Nesse sentido, o psicólogo acaba por dar assistência também a esses familiares/cuidadores que precisam de um momento para partilhar sobre suas questões.

Por isso, se você ou alguém que você conhece, se encaixa em alguma dessas situações, entre em contato comigo e agende uma consulta. Primeiramente, farei uma avaliação clínica para verificar tanto a necessidade como a viabilidade de o paciente ter um acompanhamento psicológico. Nessa oportunidade, combinaremos também a frequência dos atendimentos e valores das consultas.

Para saber mais a respeito do que faz o psicólogo, clique aqui.

  Duração do atendimento: 60 minutos